Estourando a bolha – Como coordenadores pedagógicos podem criar oportunidades para o sucesso

Por Pedro Brandão | Coordenador-geral da equipe pedagógica do Be – Bilingual Education

Entre as várias competências e habilidades dos coordenadores pedagógicos está o papel crucial de criar um ambiente de aprendizagem colaborativo e de apoio para educadores e estudantes. Uma das formas mais eficazes de alcançar isso é criando oportunidades para os educadores compartilharem suas experiências e aprenderem uns com os outros. Parece óbvio, mas, com as demandas diárias, afora as surpresas que surgem no cotidiano da coordenação, fica difícil pensar e planejar momentos que proporcionem uma expansão do olhar para além das bolhas particulares nas quais os educadores também são levados.

Neste artigo, apresentamos algumas alternativas práticas e exemplos de como os coordenadores pedagógicos e os gestores educacionais em geral podem encorajar os educadores a colaborarem e se comunicarem, levando resultados positivos para a escola e para a educação como um todo.

1. Promova encontros e workshops regulares com propósito

Organizar encontros e workshops regulares para educadores cria uma plataforma para discutir novas estratégias e formas de ensino, boas práticas e soluções para os desafios que eles possam estar enfrentando. Para os workshops, os próprios educadores podem ser ativos, já que, em geral, sabemos dos muitos talentos e áreas de expertise de cada um deles. 

Encoraje-os a compartilhar seus conhecimentos, assim como fazem com os estudantes. Além de elevar a autoestima, isso amplia o autoconhecimento e o senso de reconhecimento, abre portas para novos saberes e possibilita o desenvolvimento de novas habilidades que automaticamente atingirão os estudantes. Ah, e aquilo que pode ser dito em um e-mail não precisa roubar o tempo precioso desses encontros. Por isso, é preciso revisitar as práticas e estruturas das reuniões para que esses momentos sejam engajadores e construtivos, não apenas mais uma obrigação protocolar.

2. Organize acompanhamentos de aulas

Permitir que os educadores observem seus colegas em ação, organizando o acompanhamento de aula, pode levar a resultados positivos: aprendizado mútuo,  ganho de novas perspectivas sobre métodos de ensino, gerenciamento de sala de aula e envolvimento dos estudantes. Na prática comum do Be, a assessoria pedagógica organiza momentos de acompanhamento de aulas ao longo de todo o ano. Por isso, sabemos que ações como essa permitem que os profissionais estourem suas bolhas ao perceber que existem outras formas de ser educador e fazer educação. Tais ações também fortalecem a coletividade e a parceria, dando margem para o nascimento de muitos projetos transdisciplinares, por exemplo. Na Educação Bilíngue, a observação dos pares deve ocorrer  nas diferentes disciplinas, ainda que não ocorram na mesma língua de instrução. Isso dará aos educadores não especialistas oportunidades ricas de desenvolvimento sobre o conteúdo e sobre as abordagens.

3. Encoraje o uso de recursos e materiais 

Fornecer aos educadores acesso a uma biblioteca rica em acervo, seja física, seja on-line, pode facilitar o compartilhamento de recursos e materiais entre os educadores, levando a uma melhor colaboração entre eles. No Be, oferecemos aos parceiros uma série de recursos físicos e digitais que elevam a qualidade das aulas e das práticas pedagógicas. É importante sempre lembrar os educadores que essas ferramentas existem, que estão disponíveis e que facilitam muito a docência.

4. Ofereça oportunidades para desenvolvimento profissional

Faz parte das atribuições da coordenação pedagógica criar oportunidades para o desenvolvimento profissional, técnico e acadêmico dos educadores ao longo da jornada docente. Nas escolas parceiras do Be, a assessoria pedagógica organiza momentos formativos com as coordenações ao longo de todo o ano. Esses momentos podem ser ampliados com iniciativas da própria escola por meio de workshops, seminários e sessões de treinamento liderados por diferentes agentes educacionais: convidados externos, assessoria pedagógica do Be, além dos próprios coordenadores e educadores da escola. Para maior efetividade dessa iniciativa, é importante que tais momentos sejam planejados e organizados com antecedência, já com uma visão macro de como se darão ao longo do ano letivo.  

Concluindo, os coordenadores pedagógicos desempenham uma função vital na criação de oportunidades para os educadores, a fim de que estes compartilhem suas experiências e aprendam uns com os outros. A implementação de práticas como encontros e workshops regulares – com propósito, práticas de acompanhamento de aulas, promoção do uso de recursos e materiais e planejamento de oportunidades de desenvolvimento profissional – pode gerar resultados como:  melhor colaboração entre os educadores, aumento do desempenho dos estudantes e uma comunidade escolar mais coesa e consciente de que a educação se constrói no coletivo. Além disso, essas práticas podem contribuir para a melhoria da educação como um todo, pois ampliam o repertório de práticas e fazeres pedagógicos que atingem diretamente os estudantes e suas famílias. É tempo de estourar as bolhas e compreender que existem diferentes formas de fazer educação.

SOBRE O AUTOR

Pedro Brandão

Coordenador-geral da equipe pedagógica do Be – Bilingual Education, formado em Letras pela Universidade Metodista de Piracicaba (UNIMEP) e pelo Marietta College (EUA). Especialista em Educação Bilíngue pelo Instituto Singularidades, com certificado CELTA pela Stafford House (UK). Educador há 16 anos, com experiência em docência, coordenação, assessoria pedagógica e administração escolar em centros de idiomas, escolas bilíngues e internacionais. Educador e formador de educadores em escolas de ensino básico, da Educação Infantil ao Ensino Médio.

Search

Conteúdos mais lidos

Por Milena Mignossi Ferreira | Assessora Pedagógica Be – Bilingual Education O que a sua mãe, a Agência de Inteligência

A Educação Bilíngue no Brasil – e como a enxergamos no território nacional – passou por mudanças significativas recentes, e